RECEBA NOSSOS BOLETINS

3/20/2020

Truques para criar zonas de conforto em casa para os animais de estimação

Achei bem interessante o artigo..... Vou usar duas sugestões...
--------------------
A arquitetura tem a capacidade de gerar e estimular o bem-estar, uma necessidade que não se aplica apenas ao seres humanos. Conviver com animais de estimação exige especial atenção e organização, para uma convivência em harmonia.


Apesar disso, a adaptação ao lar é diferente para todos os animais. Enquanto que os cães preferem lugares mais confortáveis e suaves que se assemelhem a uma toca, os gatos são exploradores e gostam de investigar os lugares mais altos e remotos de uma casa. Tal como nós, têm gostos e preferências, que dependem da percepção e conforto de um espaço.

Com a ajuda da MELOM*, empresa especializada e líder em remodelação de imóveis, deixamos-te algumas dicas para que possas criar um verdadeiro santuário para os teus amigos de quatro patas. Pensar em espaços para animais passa pela mesma abordagem que os espaços dos seres humanos, havendo a necessidade de existir um claro delineamento das diferentes zonas essenciais ao dia a dia de cada animal, adaptado a cada habitação.


A criação de zonas essenciais para um animal de estimação passa pelas necessidades básicas: uma zona para comer/beber, outra para dormir, um local para necessidades e uma zona de brincar. Os espaços precisam de ser adequados e livres de obstáculos para um maior conforto e liberdade, sem a possibilidade de destruição de bens. As limitações e restrições espaciais são o ponto-chave da organização – é neste espaço que os animais poderão circular, brincar ou permanecer.


É possível adequar os espaços vazios ou inutilizados para melhor servirem as necessidades dos patudos, passando por materiais resistentes e de fácil limpeza. Materiais de pavimento como tacos, laminados ou pedras naturais rugosas devem ser evitados devido à sua superfície escorregadia, pela acumulação de sujidade e por mancharem com maior facilidade. 

Uma boa alternativa é o pavimento em betão pintado, cerâmico, linóleo ou vinil, todos fáceis de limpar e difíceis de arranhar. Apesar destas superfícies serem fáceis de limpar, nem sempre são as melhores para os animais por serem rígidos e frios, o que pode ser facilmente resolvido ao prever um espaço para a colocação de uma cama ou manta para que os animais se possam deitar.

Outra alternativa poderá passar pela cortiça, um material natural fácil de limpar e resistente aos riscos, se for finalizado com um acabamento resistente. Outra vantagem é que absorve o som, um benefício se os donos não forem fãs de barulho a ecoar pela casa. Carpetes são desaconselhadas, para além de acumularem muitos pêlos, precisam de muita manutenção de limpeza para ficarem livres de manchas e odores. No entanto, se os quartos forem restritos aos animais, pode ser considerado utilizar carpete nestes espaços.

A melhor forma de proteger um espaço é através da prevenção. Se um animal tende a morder mobília ou a estragar objetos dos donos, poderá considerar reservar um espaço da casa onde o animal possa brincar livremente com brinquedos adequados, como por exemplo uma lavandaria, cozinha, um outro espaço ventilado ou com acesso ao exterior.


Espaços para comer ou para dormir podem ser instalados em bancas ou ilhas de uma cozinha, criando nichos para colocar as camas, ou uma gaveta onde se pode colocar as taças de comida. Podem também ser previstas áreas em outros espaços, nas casas de banho ou mesmo no hall de entrada, para servir as necessidades dos animais, incorporando-as no mobiliário existente.

Se os animais tiverem mais liberdade pela casa, podem ser pensados espaços nos quartos dos donos, inserindo espaços de dormir por baixo das camas. Se os animais forem mais aventureiros, como os gatos, poderão ser utilizadas prateleiras que possam servir para escalarem pelos espaços (simultaneamente enquadradas esteticamente no design do espaço).


A opção mais prática de proteção de janelas/portas passa pela utilização de redes que podem ser fixadas com velcro ou através de uma rede emoldurada deslizante, permitindo a adequada ventilação do espaço interior. Poderá ser considerado uma grelha exterior, colocada na fachada, mas deve ser considerado o espaçamento entre a grelha para que o animal não fique preso entre os espaços.

Existem janelas de proteção, como as basculantes invertidas ou as oscilo-batentes, que podem ser utilizadas estrategicamente tendo em conta a personalidade/actividade do animal.

Outra alternativa pode passar por sistemas de proteção incorporados na materialidade da fachada, permitindo que se crie uma grelha ritmada, protegendo os animais, simultaneamente permitindo a correta ventilação e relação com o exterior.

*Este artigo contou com o apoio técnico da MELOM Power (Porto)

Fonte: Idealista/PT

Nenhum comentário:

Postar um comentário

EM DESTAQUE


Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪